8 de março: Dia Internacional da Mulher

8, março de 2021

O Dia Internacional da Mulher é celebrado anualmente em 8 de março. A data comemorativa foi instituída pela ONU – Organização das Nações Unidas, em 1975.

Muitas histórias marcaram a luta das mulheres para ter seu espaço na sociedade, fazendo com que esse não seja apenas um dia de homenagens, mas a recordação do esforço feminino, que resultou em conquistas sociais, econômicas e políticas.

O dia de hoje é um lembrete de que a luta ainda não acabou. Na Agenda 2030 da ONU, por exemplo, constam 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O quinto deles, refere-se a “Alcançar a igualdade de gênero e capacitar todas as mulheres e meninas”.

Além disso, o mês de março foi escolhido no Brasil, para conscientizar a população acerca do câncer de colo uterino –  o chamado “Março Lilás”.

Para homenagear e conscientizar as mulheres, a UVV traz duas médicas e professoras que atuam na área, para explicar e alertar sobre este mal.

 

SAÚDE DA MULHER

A médica e professora UVV, Neuzimar Rodolfo Serafim, enfatiza que o Março Lilás é mais um meio de propagar a conscientização da saúde da mulher, especialmente contra o câncer de colo uterino. “Infelizmente a saúde feminina ainda é um tabu, principalmente neste caso, pois estamos falando de órgãos sexuais, de doenças sexualmente transmissíveis”.

É importante que ao menos, uma vez ao ano, a mulher visite um profissional ginecológico.

Com os exames periódicos e preventivos, pode-se detectar lesões iniciais que são passíveis de tratamento e cura, lembra a professora. “Todo o empoderamento feminino comemorado hoje, não faz sentido se não estiver atrelado à saúde da mulher”.

Prof. Neuzimar

Prof. Neuzimar Rodolfo Serafim

 

PREVENÇÃO

“O câncer de colo de útero está no terceiro lugar no ranking de fatalidade para as mulheres no Brasil”, ressalta a médica e professora UVV, Lúcia Helena Mello de Lima.

Este tipo de câncer é causado pelo HPV – Vírus do Papiloma Humano, um vírus sexualmente transmissível. Para a prevenção deste mal cancerígeno, existe o exame popularmente conhecido como “Papanicolau”. Lúcia relembra que, o Ministério da Saúde recomenda este exame anual para mulheres a partir de 25 anos. Se após dois exames não houver nenhuma lesão, a paciente pode fazê-lo a cada três anos.

Em todo o Brasil, são esperados, anualmente, uma incidência de 16.370 casos novos da doença. Em função das estatísticas, justifica-se a necessidade de fazer o exame, além de tomar a vacina contra o HPV.

A professora enfatiza que este tipo de câncer não tem nenhum sintoma aparente, e sua evolução é lenta. “Existem países que já eliminaram o câncer do colo de útero em sua população, uma vez que é um dos mais previsíveis e detectáveis, graças aos exames periódicos”.

“Todas as mulheres precisam ter a consciência de que é necessário cuidar não somente da sua saúde física, mas também da mental, e procurar os profissionais de saúde indicados para isto. Não somente neste mês, mas sempre”, finaliza a docente.

A prevenção é a melhor forma de combate.

Prof Lucia

Prof. Lucia Helena Mello de Lima

 

POLICLÍNICA UVV

A Policlínica de Referência UVV, possui uma Clínica Ginecológica desde 2011, que realiza atendimentos nas áreas de ginecologia e obstetrícia e realiza exame de ultrassonografia obstétrica e colposcopia.

O responsável pela Clínica, médico e professor UVV, Gustavo Ruschi, enfatiza que campanhas como a do Março Lilás são importantes para ampliar a cobertura do número de mulheres que fazem seus exames periódicos regularmente.

Na região da Grande Vitória apenas 20% das mulheres, entre 25 e 64 anos, estão devidamente enquadradas no escopo do cuidado preventivo da saúde feminina. “Por isso é essencial que haja este tipo de campanha”, comenta.

Os agendamentos de atendimentos no ambulatório de saúde da mulher na Policlínica, são feitos apenas pelo telefone (27) 3421-2170.

 

Texto por: Natielen Tegner

Crédito das fotos: Raphael Araujo