Endometriose: Uma questão de saúde pública

7, maio de 2021

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a doença atinge uma em cada 10 mulheres

Hoje, 7 de maio, é celebrado o Dia Internacional da Luta contra Endometriose.

Conhecida desde o século XVII, a endometriose é uma doença ginecológica que afeta mulheres em idade reprodutiva e considerado um problema de saúde pública pelo impacto na saúde física e mental da paciente.

No Brasil, a doença atinge cerca de 6 milhões de mulheres, segundo a Associação Brasileira de Endometriose. Somente em 2019, mais de 11 mil mulheres foram internadas por causa dessa condição, de acordo com os dados do Ministério da Saúde.

Com o apelido de “Doença da Mulher Moderna”, ela ocorre quando o endométrio cresce fora do órgão. Causando dor intensa, a endometriose impacta diretamente na qualidade de vida. Ela pode levar à falta no trabalho e problemas no relacionamento. O diagnóstico demora em média 7 anos para ser concluído.

 

Segundo a médica e professora UVV, Lúcia Helena Mello de Lima, outro problema da endometriose é a infertilidade. Em média, 35% dos casos de mulheres que não conseguem engravidar é devido a esta doença.

“As dores ocorrem na região pélvica antes ou durante o período menstrual – que é o quadro mais característico. Pode sofrer, também, alterações urinárias, intestinais e dor durante a relação sexual”, afirma a médica.

O tratamento pode ser feito com medicamentos em casos mais leves ou cirúrgico.

“Todos os médicos que atendem mulheres que se deparam com dor pélvica, cólica menstrual que está atrapalhando a qualidade de vida, devem investigar e pensar na possibilidade de ser endometriose, para que a paciente tenha uma diminuição desse sofrimento possa ser tratada de forma adequada”, ressalta.

Nossa Policlínica de Referência atua na área ginecológica. Para marcar sua consulta ligue (27) 3421-2170.

 

Texto por: Giulian Ola

Crédito das fotos: Raphael Araujo